Como Trabalhamos

Censos Bianuais

Uma das ações de pesquisa do Projeto é o monitoramento da população de onças-pintadas no Parque Nacional do Iguaçu. São conduzidos censos bianuais, em conjunto com o Proyecto Yaguaraté, da Argentina, desta forma os parques nos dois países são amostrados simultaneamente. É o maior esforço mundial de monitoramento de onças, com cerca de 600.000 hectares amostrados há quase 10 anos De 2009 a 2018 a população de estimada de onças-pintadas no PARNA Iguaçu passou de 11 para 28 animais. Considerando o Corredor Verde (Brasil e Argentina, a população atual estimada é de 105 indivíduos.

Monitoramento Contínuo

Além dos censos bianuais também são usadas armadilhas fotográficas no Parque Nacional do Iguaçu em tempo integral, o que permite um acompanhamento da atividade das onças e o monitoramento de outras espécies da fauna.

Estudo da Dieta

O estudo da dieta das onças-pintadas é feito através da análise de conteúdo fecal de amostras coletadas durante atividades em campo. A identificação das espécies predadoras é feita por meio de sinais deixados no local da deposição das fezes (pegadas e arranhões), e conferida por tricologia ou análises genéticas se necessário. 

Análises isotópicas serão usadas como forma complementar à análise de fezes. A fim de se obter um padrão da assinatura isotópica, tanto dos predadores quanto de espécies presas, amostras de pelos, penas, escamas e outros tecidos obtidos serão enviados para análises isotópicas.

Monitoramento de onças-pintadas com rádio-colares

O Projeto captura onça-pintadas e pardas para instalação de colares que permitem que os animais sejam monitorados através de satélite e VHF, gerando dados como deslocamento, área de vida e atividade. Durante as capturas também são coletados dados biométricos e materiais biológicos para análises, como sêmen e sangue. Esse trabalho é feito em parceria com o CENAP e Proyecto Yaguareté.

engajamento

O Projeto Onças do Iguaçu atua em toda a comunidade lindeira ao PARNA Iguaçu. Através de visitas constantes, transmissão de conhecimento, reconhecimento e valorização dos moradores locais, buscamos estabelecer um vínculo de confiança que nos permita engajar os moradores lindeiros e dar a eles um senso de pertencimento, transformando-os em atores das ações de conservação da onça-pintada na região.

O PAPO DE ONÇA são conversas com comunidades, geralmente adultos em áreas rurais, sobre grandes felinos, especialmente a onça-pintada, sobre boas práticas no manejo de gado para evitar a predação e segurança de pessoas.

O ONÇA NA ESCOLA são atividades desenvolvidas em escolas dos municípios lindeiros, com teatro, palestra e exposições.

O PEDAL DA ONÇA são atividades com ciclistas que envolvem exposição e bate-papo sobre onças e sobre o Parque Nacional.

O BAFO DE ONÇA é inspirado no movimento mundial “Pint of Science”, que levou a discussão sobre ciência para os bares, em uma linguagem acessível e interessante para leigos. O Bafo de Onça será realizado em bares nos municípios lindeiros ao Parque Nacional do Iguaçu, e vai falar sobre a conservação de onças-pintadas de forma leve e emocional, buscando conexão e engajamento.

O Time Panthera é o programa de Ciência Cidadã do Projeto Onças do Iguaçu.

O objetivo é o envolvimento direto das comunidades lindeiras ao Parque Nacional nas atividades do Projeto Onças do Iguaçu.

Além do senso de pertencimento e envolvimento direto da comunidade na conservação da onça-pintada na região, essa ação possibilita multiplicar a presença do projeto, através de pontos focais nos municípios lindeiros.

Amigos da Onça

Para facilitar a comunicação com os motoristas de ônibus e vans e os colaboradores das concessionárias que atuam no PARNA Iguaçu e também dos moradores de municípios lindeiros criamos um grupo de WhatsApp, o Amigos da Onça. Isso está nos ajudando a receber mais informações e fotos sobre avistamentos de onças dentro e fora do PARNA Iguaçu. A foto que ilustra esta página foi enviada por um motoristas das vans que atuam no PARNA Iguaçu.

Imagem12

Onça Itinerante

O ONÇA ITINERANTE  são atividades desenvolvidas espaços públicos dos 14 municípios lindeiros, incluindo exposições em eventos nos municípios, bate papo sobre onças, oficinas de pegadas em gesso, exibição de filme sobre o projeto, pintura de rosto, teatro, pintura para crianças, contação de histórias.

Coexistência

A sobrevivência das onças-pintadas depende em grande parte da tolerância das populações humanas a estes animais, e o projeto busca a coexistência entre as onças e as populações humanas.

O Projeto Onças do Iguaçu atua em toda a comunidade lindeira ao PARNA Iguaçu.

Através de visitas constantes, transmissão de conhecimento, reconhecimento e valorização dos moradores locais, é buscado estabelecer um vínculo de confiança que permita engajar os moradores lindeiros e dar a eles um senso de pertencimento, transformando-os de expectadores em atores das ações de conservação da onça-pintada na região.

O contato constante, próximo e direto com as comunidades visa construir uma relação de confiança entre moradores e a equipe do projeto.

Temos um protocolo de atendimento à predação de animais de criação por grandes felinos que prevê uma resposta rápida para impedir o abate das onças por retaliação.

Em caso de predação a propriedade é visitada o mais rápido possível, o predador é identificado e trabalhamos junto com o proprietário na implementação de medidas imediatas e de longo prazo para prevenção de futuros ataques.

Damos orientações sobre o manejo adequado do gado para evitar predação, buscamos parceiros que ajudem a implementar dispositivos para evitar a predação.

 

A instalação de medidas anti-predação e orientação sobre manejo voltado à proteção dos animais domésticos, além de evitar possíveis perdas tem o objetivo de dar aos moradores a sensação de controle do risco.

São utilizados e testados pelo projeto os seguintes equipamentos:

•Luzes deterrentes

Luzes que piscam de maneira intermitente e que teriam a finalidade de manter grandes felinos afastados. São utilizados os seguintes tipos:

•Nite Guard – luz intermitente vermelha. Bateria solar a acende automaticamente à noite

• Foxlights – flash de luzes de cores variadas de LED computerizado
 
Sistema Turerê – Sistema de baixo custo, com luzes ou pequenas faixas de LED que acendem de forma intermitente, simulando uma pessoa se deslocando pelo local com lanterna. 

Sinos Sinos de cobre ou latão colocados no pescoço de alguns animais no rebanho. O barulho manteria grandes felinos afastados.

Rojões e bombinhas – Em locais onde houve predação, avistamento de onças ou pegadas, ou que a população está de alguma forma com medo de grandes felinos, são entregues alguns rojões e/ou bombinhas, com instruções sobre o uso seguro e também sobre a forma de uso, que deve ser pontual (quando ouvir animais domésticos agitados à noite, por exemplo) e esporádico para não causar habituação.

Saiba Como evitar a predação:

Faça o download agora do guia e saiba como evitar a predação de onças!!

A CompONÇAção

O Projeto Onças do Iguaçu busca a identificação de talentos locais que possam ser transformados em uma alternativa de renda, associada à causa da conservação da onça-pintada. O POI não trabalha com ressarcimento de gado predado por onças. Por falta de recursos e por uma questão metodológica: o ressarcimento não estimula os produtores a melhorarem seu manejo e adotarem boas práticas, nem estimula o trabalho em parceria. Ao invés de ressarcimento, trabalhamos com um conceito que estamos chamando de CompONÇAção: Identificação de talentos locais que o projeto possa ajudar a desenvolver, visando a produção de produtos/serviços aos quais a onça agregue valor, gerando uma fonte alternativa de renda diretamente relacionada à conservação das onças. Usa a rede de contatos do Projeto para buscar capacitação, certificação e identificação de mercados para os produtos associados às onças. O resultado esperado é que a geração alternativa de renda agregue valor à manutenção das onças vivas.

Queijo da Onça

Nozes & Onças

Apoio a órgãos ambientais

Sempre que necessário e possível, prestamos auxílio a autoridades ambientais dos municípios lindeiros ao Parque Nacional do Iguaçu.

As principais atividades desenvolvidas são:

  • Auxílio na identificação de material biológico apreendido em operações de fiscalização do ICMBio ou Polícias (Ambiental, Federal).
  • Auxílio no resgate de animais atropelados nas estradas no entorno do PARNA Iguaçu.
  • Apoio técnico e logístico para a resolução de problemas com a presença de grandes felinos na área urbana de municípios.